Discentes – Turma 2015

A formação docente e a educação científica: Usando o passado para construir o futuro

Érica A. Rabelo

Victor Ernesto (Mestre)

A formação docente e as questões relativas ao cotidiano dos discentes estão envolvidos intrinsecamente no processo de formação profissional e tais questões têm sido debatidas por estudiosos de várias áreas e assim apresentadas múltiplas e divergentes visões sobre o papel do educador. Tomando como base tal preceito, objetiva-se com o presente trabalho, a partir de levantamento bibliográfico, mostrar que a Educação Científica e a formação docente estão diretamente ligadas com o propósito de auxiliar a formação do aluno, para que estes possam por si só, ter o conhecimento da Língua Materna. Pretende-se ampliar e aprofundar a reflexão sobre a prática docente e a formação do professor pesquisador, mais especificamente, com o intuito de discutir de que forma os professores podem levar seus discentes a descobrirem por si só os segredos históricos da Língua Portuguesa, bem como mostrar que o conhecimento da Linguística Histórica pode desenvolver o aprendizado da Língua Portuguesa e favorecer a compreensão dos fatos históricos e sociológicos aos quais estão inseridos e despertar nos discentes a consciência sobre a importância da linguagem no desenvolvimento humano. Os procedimentos utilizados para a busca de informações sobre o objeto investigado se deu por meio de técnica de pesquisa documental indireta na qual, a apreciação das poucas referências se fez necessária, uma vez que, a produção e publicação de materiais no que tange o tema ainda se faz incipiente. A escolha deste método, dentre os existentes na metodologia científica, se prende ao fato de se mostrar adequado ao objetivo do estudo proposto. Pretende-se também, propor a utilização dos subsídios da Linguística para fomentar a educação linguística já nas séries iniciais, no intuito de adotar uma postura pedagógica científica, crítica e que promova o estudo científico das línguas, em especial, levando os estudantes a desenvolverem o ensino/aprendizagem da Língua Materna de forma mais autônoma.

Metodologias no ensino de ciências: um enfoque na educação científica no ensino fundamental II

Autora: Marcília Cristina Rabelo de Albuquerque

Orientadora: Dra. Alexandra Souza de Carvalho

 

RESUMO: No presente trabalho foi realizada uma revisão bibliográfica seguida de análise e implementação de metodologias de ensino de ciências fundamentadas nos parâmetros da educação científica. O estudo foi desenvolvido em turmas do ensino fundamental II da Escola Estadual Maria Isabel de Melo Góes e Escola Municipal Gilberto Alves de Araújo localizadas no município de Catu-Ba.  A pesquisa foi realizada através da aplicação de questionário antes e depois do desenvolvimento das metodologias em sala de aula. Espera-se que cada estudante envolvido nesse processo desenvolva as habilidades e competências de maneira satisfatória, bem como consigam realizar a compreensão dos conteúdos clássicos além de uma dimensão meramente conceitual. Além disso, espera-se que os alunos demonstrem maior domínio dos conteúdos abordados após desenvolvimento das sequências didáticas propostas, alcançando dessa forma uma aprendizagem mais significativa.

Palavras-chave: Ensino de ciências, educação científica, aprendizagem.


Laboratórios de informática na escola: ferramenta de apoio aos projetos de iniciação científica.

Autora: Samira Silva Neves
Orientadora: Dra. Camila Santana

RESUMO: Atualmente muito se tem discutido acerca da inclusão digital nas escolas e de como esta pode contribuir para o processo de democratização do acesso as tecnologias de informação, sendo compreendida como a aprendizagem indispensável para o indivíduo interagir no mundo das mídias digitais. Como também fala-se da importância da Iniciação Científica para a educação, sendo esta necessária para a formação do cidadão crítico que questiona, investiga e busca soluções de problemas do seu cotidiano através da pesquisa. Percebe-se então que estas áreas se completam e juntas podem contribuir para uma educação com mais qualidade e que vai além da sala de aula. Diante do exposto este estudo visa investigar como os laboratórios de informática conectados a internet podem contribuir para o desenvolvimento dos projetos de iniciação científica no município de Alagoinhas-BA, mais especificamente na rede estadual de ensino, verificando como os professores orientam seus alunos para realizarem as pesquisas na internet e quais são os principais software utilizados. Assim, será feita uma abordagem teórica sobre a Informática Educativa no Brasil, apresentando de forma breve alguns conceitos, o panorama histórico e os acontecimentos que antecederam sua propagação no país. Discute-se também sobre a Iniciação Cientifica e suas contribuições para formação do aluno. A metodologia utilizada será à pesquisa descritiva e a quali-quantitativa, através da aplicação de questionário fechado e a observação não participante. O universo pesquisado será o Centro Territorial de Educação Profissionalizante do Litoral Norte e Agreste Baiano – CETEP/LNAB, com uma amostra de 10 (dez) professores selecionados aleatoriamente. Na apresentação dos resultados faremos a caracterização do ambiente da pesquisa, a análise e discussão dos dados à luz dos conceitos vistos, contextualizando a reflexão acerca na Informática Educativa no ambiente escolar, o uso dos laboratórios de Informática associado à projetos de Iniciação Cientifica e quais subsídios oferecem para que docentes e discentes sejam alfabetizados cientificamente.

Palavras-chave: Laboratórios de Informática; Informática Educativa; Iniciação Cientifica.

Exposições matemáticas realizadas com estudantes da educação básica: análise de publicações da Feira Baiana de Matemática 2013.

Autora: Veralucia Carvalho dos Santos
Orientadora: Ms. Yone Carneiro de Santana Gonçalves

Resumo: O presente trabalho de investigação, intitulado “Exposições matemáticas por estudantes da educação básica: análise de publicações da Feira Baiana de Matemática 2013”, surgiu com o propósito de ampliar o conhecimento sobre as práticas realizadas na área de divulgação do conhecimento matemático, que envolvem a participação de estudantes da educação básica, no contexto baiano. Como fonte de pesquisa, recorreu-se a Feira Baiana de Matemática, por ser um espaço com histórico de publicação de trabalhos desta área do conhecimento por estudantes de várias cidades do estado da Bahia, cuja primeira edição aconteceu no ano de 2006. Tem-se como objetivo deste trabalho analisar as produções científicas realizadas por estes estudantes e publicadas nos anais da Feira Baiana de Matemática, em 2013. Nesse sentido trata-se de uma pesquisa bibliográfica de abordagem quali-quantitativa, onde a coleta de informações foi primeiramente realizada por consulta aos anais do evento, fazendo-se uma triagem dos trabalhos realizados por estudantes da educação básica. Após a triagem, recorreu-se a análise de conteúdo dos trabalhos que passaram a compor o banco de dados, através da leitura dos resumos dos trabalhos publicados. Da análise de conteúdo foram resgatados os seguintes elementos: público envolvido; objetivos dos trabalhos; metodologias utilizadas; e conteúdos/temas abordados. A análise destes elementos permitiu a categorização dos trabalhos, a saber: educação matemática, ludicidade e experimentação; a matemática no cotidiano; educação matemática na perspectiva multidisciplinar. A relevância deste trabalho se dá por se constituir em um possível indicador de tendências da educação de matemática com estudantes da educação básica. Acredita-se que o trabalho também pode contribuir para estudos futuros, por sinalizar o que vem sendo desenvolvido no contexto baiano, percebendo que aspectos e dimensões vêm sendo destacados e privilegiados por estudantes e professores da educação básica na educação matemática.

Palavras chaves: Educação matemática, educação básica, divulgação científica.

A utilização do laboratório de matemática como espaço alternativo para fomentar o ensino e aprendizagem da construção do conhecimento matemático na Escola Municipal Cônego Diamantino a partir de materiais alternativos.

Aluno: Valmir Soares dos Santos

Orientador: Ms. Jacson de Jesus dos Santos

Resumo: O presente trabalho busca fazer com que os alunos do ensino fundamental II, no sexto ano do ensino regular, da escola Municipal Cônego Diamantino, localizada no bairro URBIS na cidade de Catu/Bahia compreendam a importância da produção científica, com o intuito de despertar nestes alunos o
interesse pela pesquisa científica e pela construção própria de conhecimento. Visando alcançar como resultado alunos independentes de uma única forma de aprendizagem, mais participativos e atuantes dentro da própria escola e, também, na comunidade em que estão inseridos. Verificando por meio da realização de um trabalho de intervenção a efetiva construção do conhecimento matemático próprio a partir da utilização do Laboratório de Ensino da Matemática – LEM ou espaços destinados a mesma finalidade deste último, identificando primeiramente as escolas que possuem laboratórios de matemática ou de ciências afim de examinar as condições de uso dos mesmos para utilizá-los ou buscar alternativas viáveis. A presente pesquisa tem as seguintes etapas: Visita ao Laboratório de Ensino da Matemática ou ambiente destinado a tal função na escola escolhida para o desenvolvimento da pesquisa. Criação de um questionário para identificar a percepção inicial dos alunos e professores sobre o LEM, a pesquisa e a importância de ambos para construção do conhecimento científico. Aplicação do questionário. Seguindo, será realizado alguns experimentos com os alunos onde os mesmos poderão utilizar materiais manipuláveis, podendo estes serem feitos a partir de materiais alternativos, e construir conceitos próprios a partir de tais manipulações. Aplicação de novo questionário para identificar se houve mudança na percepção a fim de fazer um comparativo entre o antes e o depois em relação ao experimento para sondar a nova percepção do conhecimento prático a partir da experimentação. O resultado esperado é que o uso do LEM deverá potencializar o entendimento e a assimilação dos conteúdos estudados em sala de aula além de servir, também, como um ambiente (ou um pontapé inicial) para que o professor e os discentes tornem-se pesquisadores e desenvolvedores de novos modelos de conhecimentos.

PALAVRAS-CHAVE: Conhecimento prático, emancipação, produção própria.

As Feiras De Ciências Na Bahia: Propostas, Experiências E Desafios

Autor: Rogério Lima de Jesus

Orientador: Marcelo Souza Oliveira

RESUMO: A crescente participação de estudantes baianos nas diversas feiras de ciências que ocorrem no país é um indicativo das políticas de valorização desse tipo de atividade na Bahia, consonante ao que preconiza alguns documentos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI. O objetivo desse artigo é traçar um panorama sobre as duas principais feiras de ciências da Bahia: a Feira dos Municípios e Mostra de Iniciação Científica da Bahia (FEMMIC) e da Feira de Ciências da Bahia (FECIBA), refletindo sobre suas contribuições no que tange ao crescimento da prática da Iniciação Científica na Educação básica no estado da Bahia. Esse trabalho foi caracterizado como uma pesquisa exploratória e documental, com traços de pesquisa-ação, e para sua consecução iniciamos com uma breve revisão bibliográfica sobre a importância que as feiras de ciências podem legar às comunidades escolares.  Em um segundo momento situamos essas feiras de ciências no cenário nacional, demonstrando o alinhamento teórico e pedagógico que as institui como interlocutoras estaduais dessa rede em prol da iniciação científica na educação básica contribuindo para o fomento da popularização da Ciência e Tecnologia no Estado. Posteriormente, com seus Projetos Pedagógicos, apresentamos e caracterizamos a FEMMIC e a FECIBA demonstrando suas dinâmicas de funcionamento e inserção no cenário educacional, aqui também demonstramos dados estatísticos dessas feiras que nos ajudam a compreender, tanto sua contribuição quanto sua expansão nos últimos anos. Por último elencamos algumas das principais dificuldades para o avanço das práticas propiciadas pelas feiras de ciências nas escolas baianas. Entendendo a necessidade de aprofundar as discussões a respeito de alternativas que proporcionem melhoria na qualidade de ensino, esperamos que o presente artigo, além de servir como instrumento de divulgação de práticas exitosas no contexto educacional, possa contribuir para o conhecimento e sensibilização da comunidade escolar acerca das potencialidades da pesquisa como princípio educativo, bem como despertar o interesse de gestores, professores e estudantes para participação em feiras de ciências como estratégia para o fortalecimento de uma Educação integral e integradora.

Palavras-chave: Feiras de Ciências, iniciação científica, educação básica.

Estudo Do Meio Na Trilha Da Reserva Sapiranga

Autor: Sandro Conceição de Matos

Orientadora: Dra. Joana Fidelis da Paixão

Resumo: As reservas ambientais são consideradas como importantes espaços não formais da educação e de popularização das ciências que permitem os diferentes grupos sociais entenderem a linguagem científica fora do ambiente escolar. O presente trabalho teve como objetivo, desenvolver juntamente com os estudantes do segundo ano do ensino médio uma investigação científica da Reserva Sapiranga que dialogasse, de modo interdisciplinar, os aspectos biológicos, históricos e econômicos. Todavia, para se apropriar da linguagem científica oferecida pelos espaços não formais da educação, é preciso que os educadores direcionem previamente as atividades que serão realizadas nestes locais de ensino e aprendizagem. Caso contrário, a prática educativa transforma-se em meros momentos de lazer e entretenimento. Considerando esse fato, foi utilizado um roteiro com questões que pudesse orientar as observações dos estudantes quanto à ação do sistema econômico na degradação da natureza original, assim como, à caracterização ecológica e evolutiva dos organismos presentes no atual âmbito espaço-temporal da Reserva Sapiranga. Ademais, os estudantes foram motivados a tirarem uma fotografia daquilo que mais lhe chamou atenção durante a excursão. Estas fotos foram organizadas num mural contendo uma legenda explicativa sobre ela, com o intuito de popularizar o conhecimento científico apreendido durante a aula de campo aos outros alunos da escola que não foram à Reserva Sapiranga.

Palavras-chave: Espaço não Formal, Popularização das Ciências e Interdisciplinaridade.

Contribuição para a iniciação científica no processo formativo de estudantes do ensino médio: avaliando as condições atuais do rio das pedras, sob o aspecto ambiental.

Autora: Daniela Santana Lima

Orientadora: Dra. Joana Paixão

 

RESUMO: Trata-se de uma pesquisa descritiva-exploratória, a fim de contribuir para a iniciação científica no processo formativo de estudantes do ensino médio, avaliando as condições atuais de um ecossistema lótico, sob o aspecto ambiental. O estudo foi desenvolvido no rio das Pedras, um afluente da Bacia do Rio Itapicuru, que está situado na Cidade de Conde, Bahia. Fazer um estudo avaliativo dos impactos ambientais que atingem esse rio é importante porque o mesmo, para a cidade de Conde, está diretamente relacionado ao abastecimento de água e atividades de lazer. Esse trabalho foi realizado através de atividades de campo e busca de referencial bibliográfico. Além disso, foi realizada oficina de monitoramento para os estudantes, a fim de ajuda-los a compreender o instrumento de avaliação in loco – protocolo de avaliação rápida (PAR) – , bem como as ilustrações disponíveis que facilitaram a avalição em campo. O trabalho contribuiu para a formação dos estudantes que afirmaram se sentirem sensibilizados para com as questões ligadas à preservação dos recursos hídricos e disseram que a participação na oficina de monitoramento ambiental também permitiu a apropriação de conhecimentos sobre o funcionamento dos sistemas fluviais. Além disso, o presente estudo encontrou resultados satisfatórios para as condições atuais do Rio das Pedras no que diz respeito à integridade ambiental dos locais avaliados, mas foram observados lixo ao longo das margens do rio e  processos de erosão e assoreamento, causados pelo desmatamento da mata ciliar. Sugere-se que sejam tomadas providências imediatas para a preservação desse recurso tão importante para o município, a fim de se evitar maiores problemas futuros.

Palavras Chaves: rio; Conde; Avaliação; Ambiental.

O ensino de gramática sob a ótica da educação científica: o jogo como instrumento de aprendizagem

Autora: Elijane Souza Santos Cavalcanti

Orientadora: Dra. Simone Maria Rocha Oliveira

 

Resumo: A educação científica tem despontado como uma nova forma de se pensar o ensino-aprendizagem nas mais diversas áreas do conhecimento. Por meio desta, o estudante, produtor de conhecimento, é levado a pensar sobre a sua realidade e como atua sobre ela. Ele deixa de reproduzir informações e passa a pensar criticamente acerca da sociedade na qual está inserido. Através deste novo modelo de educação, o aluno amplia a sua percepção de mundo, compreende as relações que nele existem, deixando de apenas absorver o que lhe é oferecido. Porém, apesar da clara necessidade de se repensar a práxis pedagógica, o ensino de gramática parece caminhar em sentido oposto e, ainda hoje, está vinculado à “decoreba” de normas aparentemente cristalizadas. Normas estas, estabelecidas num passado distante e baseadas num padrão de sociedade que já não existe mais. A começar pelo professor de Língua Portuguesa, para que seja reconhecido como um profissional de excelência, é necessário que conheça e saiba utilizar todas as regras gramaticais e, também, que consiga fazer com que seus alunos as memorizem. É por esse e outros motivos que o ensino de gramática, infelizmente, ainda é visto como repetição de regras que devem ser decoradas pelos estudantes, por isso a gramática normativa ainda é a mais utilizada por grande parte dos professores. Esse tipo de gramática, que focaliza o ensino como memorização de normas, é que leva os aprendizes a dizerem que não gostam de Língua Portuguesa, ou que é uma “disciplina” difícil. Em meio a tantos problemas e a visível ineficiência que a atual metodologia para o ensino de gramática vem apresentando, torna-se cada vez mais evidente a necessidade de se pensar uma prática que traga sentido para o discente, e vá além da mera memorização. Para isso, objetiva-se analisar o jogo como instrumento de aprendizagem às aulas de gramática, aliando assim ludicidade e ensino. Por meio do jogo, o estudante terá a possibilidade de aprender de forma prazerosa, a utilizar a própria língua, além de permitir que o ensino de gramática não se limite à memorização. A realização deste projeto de pesquisa, se dará por meio de pesquisa bibliográfica e análise de jogos digitais voltados ao ensino de gramática, disponíveis na play store (loja virtual do Android, na qual estão disponíveis todos os aplicativos destinados à plataforma). Apesar de bibliográfica, esta pesquisa procura formas de aprimorar a prática docente para o ensino de gramática por meio do jogo, pois este instrumento possibilita ao estudante valer-se de seus conhecimentos prévios, afinal é um falante nativo da língua, para construir novos, o que valorizará o saber que ele carrega, caracterizando, então, uma aprendizagem significativa.

Palavras-chave: Gramática, educação, jogo, aprendizagem

Canais e meios de difusão do conhecimento científico: o ciberespaço como ambiente informal de ensino e aprendizado

Autora: Silvânia Cerqueira da Costa

Orientador: Ms. Marcos Cajaiba

 RESUMO: Entender as alterações do fazendo educação após a popularização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), é o ponto inicial para adequar os novos instrumentos de ensino e aprendizado, pois além de proporcionar ao educando as possibilidades de produzir conhecimento com e através dos novos espaços de (in) formação (ciberespaço) é possível o uso de novas pontes de ensino, a Educomunicação, misturando linguagens e propondo novos caminhos de difusão do conhecimento científico por meio dos canais digitais, potencializando o uso dos ambientes (in) formais para difundir e formatar conhecimento científico. Estudo que realizarmos nesta pesquisa através de um estudo tendo como corpus o uso de plataformas digitais (youtube), enquanto meio/instrumento de difusão do conhecimento científico, assim, para analise decupamos o vídeo: Mundo da Ciência -01 O que é Ciência? , produzido por alunos do ensino médio exibido no canal do youtube Óaldeia, ou seja, sujeitos usuários das interfaces, produtores e difusores do conhecimento científico, o que permitiu abordamos nesse contexto de convergências e simbioses a dinâmica inclusiva da autonomia estudantil e a difusão do conhecimento cientifico com e a através das interfaces gráficas tendo como elo a Educomunicação.

PalavrasChaves: Canais. Instrumentos. Conhecimento Científico. Educomunicação.

Ensino de ciências no fundamental II: práticas inovadoras na consolidação da educação científica

Autora: Roberta Cristina Reis Costa

Orientadora: Alexandra Souza de Carvalho

RESUMO: Muito se tem falado sobre a educação científica como modelo de educação em todas as modalidades de ensino, porém são muitos os fatores que levam ao não despertamento para a pesquisa no cotidiano escolar, principalmente nas séries do ensino fundamental na educação básica. No entanto, nos deparamos com um ensino tradicional com uma concepção ultrapassada da educação onde pouco se é aproveitado nas aulas de Ciências para a vida e para a formação da cidadania. O presente trabalho de pesquisa trata-se de um Projeto de Intervenção realizado na Escola Municipal Cônego Diamantino em Catu-BA no ano de 2015 onde os sujeitos da investigação foram as duas turmas do 6º ano do Fundamental II no turno vespertino e teve como objetivo avaliar as contribuições das metodologias alternativas na consolidação da educação científica. O método utilizado consistiu em elaboração de uma seqüência de atividades sendo elas: um questionário diagnóstico para se analisar a percepção dos estudantes sobre a temática, leitura de material alternativo, palestra com profissional de meio ambiente, visita ao Rio de Catu e produção de material para apresentação, todas com relações entre a ciência, tecnologia, sociedade e ambiente, com o intuito de avaliar a percepção dos estudantes após cada atividade realizada em relação à temática traçada no conteúdo programático da unidade. Em adição, buscou-se a pesquisa bibliográfica para que fossem caracterizados os temas em estudo. Dessa forma, através de uma análise dos dados obtidos dos alunos, pretende-se verificar se as práticas inovadoras fortalecem a educação científica e de que forma os conteúdos de Ciências devem ser abordados para que haja uma aprendizagem significativa. As atividades estão sendo desenvolvidas e o delineamento da pesquisa esta sendo realizado.

Palavras-chave: Educação Científica, Ensino de Ciências, Aprendizagem Significativa.

A aplicação da educomunicação no ensino de ciências e sua contribuição na produção do conhecimento na Escola Municipal Alagoinhas IV de Alagoinhas, Bahia.

Autora: Maira Regina Bispo Cardoso Bastos

Orientadora: Ms. Elielma Santana Fernandes

Resumo: Os avanços científicos e tecnológicos exigem de todos uma adoção de novas competências e habilidades para uma permanência atuante na sociedade em que vivemos. Assim, o ensino de Ciências torna-se importante na formação escolar do sujeito. Entretanto, ainda é possível notar uma forte presença da aplicação pedagógica tradicional nas escolas. Essa forma de ensino caracterizada por apresentar o conhecimento como algo pronto e definitivo vai contra a maneira como o conhecimento científico é produzido, já que não levam em conta os aspectos sociais, políticos, históricos e culturais presen­tes na produção desses conhecimentos. A Educomunicação é um conjunto de ações estabelecidas a partir do aprofundamento teórico, que se utiliza dos meios de comunicação para a propagação de seus conhecimentos e não possui o objetivo de criar teorias para serem seguidas, mas a construção e a divulgação de um novo conhecimento, com o objetivo de intervir na realidade da comunidade através dos conteúdos criados em seus novos discursos. A escola é um espaço propício para a educomunicação acontecer em seus diversos segmentos como rádio, TV, internet e impressos, uma vez que o processo de ensino-aprendizagem se efetiva pela relação dos seus agentes. O objetivo geral desta pesquisa é analisar a aplicação da educomunicação no ensino de ciências bem como sua contribuição ao ensino-aprendizagem na Escola Municipal de Alagoinhas, Bahia. E os objetivos específicos são identificar as técnicas de educomunicação adotadas pela Escola Municipal Alagoinhas IV no ensino de Ciências; avaliar o Projeto Ecokids como prática da educomunicação na Escola Municipal Alagoinhas IV e demonstrar a contribuição da educomunicação no ensino-aprendizagem do Ensino de Ciências.  Além da pesquisa que abrange a aplicação de questionário semiestruturado sobre o perfil pedagógico da escola; pesquisa documental de registros anteriores e posteriores ao projeto EcoKids, para comparação das características metodológicas; entrevista com os docentes para identificar e analisar as contribuições ao processo de ensino-aprendizagem ao longo e após a aplicação do projeto EcoKids e realização de uma oficina com os alunos para construção de um folheto informativo com a temática educação ambiental para apurar as contribuições da educomunicação, este trabalho ainda tem uma base conceitual ancorada por autores como: SOARES, PENTEADO, FREIRE, VYGOTSKY entre outros. Em suma o trabalho busca analisar a contribuição das práticas educomunicativas e seu fortalecimento como papel agregador do processo ensino-aprendizagem no ensino de ciências, bem como Encontrar dados que evidenciam o fortalecimento dos ecossistemas comunicativos em espaços educativos, reconhecendo assim o crescimento da auto-estima e da capacidade de expressão dos alunos, como indivíduos e como grupo.

Palavras-Chave: Educomunicação, Educação Ambiental, Ensino- Aprendizagem

Estética e Saúde: Um estudo no Programa Ciência Itinerante

Autor: Danilo Peneluc Pita Bomfim

Orientador: Dr. Marcelo Souza Oliveira

Resumo: O objetivo deste projeto de intervenção foi estruturar dentro da proposta estabelecida pelo Programa Ciência Itinerante, programa fomentado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano- Campus Catu, um stand na área de Educação Física que discutiu a relação entre saúde e estética. Bem como, durante a ação, analisou a contribuição do processo ensino aprendizagem para os estudantes integrantes do stand acerca dos conhecimentos produzidos. A crescente preocupação com o corpo e as enumeras atividades para promoção de saúde, evidenciam uma mudança de pensamento da sociedade e colocam a alimentação saudável e os exercícios físicos em um patamar totalmente diferente do que se observava há décadas.  A busca por saúde e qualidade de vida tem sido tratada com ênfase pela mídia televisiva, impressa e pelas organizações governamentais. Entretanto, as ações da população e de boa parte dos profissionais da área contrariam essa ideia na medida em que supervaloriza a estética sobrepondo o bem-estar físico e mental, assim resultando em uma relação desarmônica entre exercícios físicos e saúde, relação essa que deveria ser complementar. A avaliação do projeto foi qualitativa tendo como ferramenta principal de analise o diário de bordo utilizado durante as reuniões do stand. Buscou-se através desta intervenção analisar as possíveis mudanças de percepções e/ou conceitos dos estudantes que faziam parte do stand de educação física por meio de ações educativas durante a reunião do grupo de estudo e também a partir da relação dialógica entre estudantes e o público, no que diz respeito à popularização do conhecimento científico nas exposições em que o stand esteve presente. Conclui-se que a preocupação com a estética e sua exteriorização através da busca do “corpo perfeito” é uma constante na sociedade, principalmente entre o público jovem. Por isso a educação física tem papel preponderante se ressignificar sua atuação saindo do campo técnico esportivo para dialogar com as necessidades sociais, podendo assim oportunizar aos discentes uma aprendizagem significativa a partir do momento em que o cotidiano passe a fazer parte do planejamento escolar. A compreensão do conhecimento prévio dos estudantes sobre o tema, e a ação de torna-los sujeitos mediadores do saber científico através da popularização deste na sociedade, resulta na ampliação do olhar crítico ao observar os conceitos sobre estética e saúde apresentado pelo público nas exposições. Espera-se que o método desenvolvido ofereça subsídios para que os estudantes não sejam seduzidos pela cobrança social exercida pelo padrão de beleza vigente. Da mesma forma, tem-se a expectativa de que a saúde seja compreendida em toda a sua abrangência, superando a protagonização das questões nutricionais e do treinamento.

Palavras chave: Estética; Saúde; Educação Física; Popularização; Ciência

As relações entre a motricidade humana e o processo aprendizagem

Autor: Marcelo Henrique Oliveira de Vasconcellos

Orientadora: Ms. Daniele de Jesus Gomes Moreira

Resumo: O objetivo geral da pesquisa é investigar sobre as conexões existentes entre o corpo e seus movimentos com a aprendizagem, para tanto foram fixados os seguintes objetivos específicos: averiguar como o corpo e seus movimentos são explorados dentro do espaço escolar; identificar a relação que existe entre a motricidade e o processo de aprendizagem; definir o lugar que a motricidade humana ocupa no processo de formação dos professores. Constitui uma pesquisa bibliográfica, desenvolvida a partir de material já elaborado, constituída principalmente de livros e artigos. Foram utilizadas as seguintes bases de dados: BIREME (Centro Latino Americano e do Caribe de informações em Ciência da Saúde), SCIELO (Scientific Electronic Library Online) e Google Acadêmico. Utilizou-se para busca de artigos as seguintes palavras-chave: aprendizagem, motricidade, motricidade humana. Os critérios de inclusão foram: artigos publicados entre 2005 a 2015 e que permitissem responder as seguintes interrogações: Como o corpo e seus movimentos vêm sendo considerados no espaço escolar? Qual a relação que existe entre a motricidade e o processo de aprendizagem? Qual o lugar da motricidade humana no processo de formação dos professores? Foram excluídos: artigos publicados antes de 2005; que não haviam sido publicados em periódicos científicos; ou que não dava subsídio para o entendimento das interrogações pré-estabelecidas nos critérios de inclusão. Pode ser incluído um livro e alguns documentos que contém parâmetros para a educação, em função de suas importantes relações com a temática. Foram encontrados 37 artigos, dos quais 27 foram excluídos por estarem enquadrados nos critérios de exclusão. Dos artigos, um aborda o lugar do corpo no espaço escolar, 8 discutem sobre as relações que se dão entre a motricidade e a aprendizagem e três discorrem sobre a formação de professores no eixo da motricidade. Pode ser incluída uma dissertação de mestrado, um livro e alguns documentos que contém parâmetros para a educação, em função de suas importantes implicações com relação à temática.

Palavras-chave: motricidade humana, aprendizagem, educação escolar.

Educação científica: concepções presentes em livros didáticos de geografia do ensino fundamental II

Autora: Gleidiane Guimarães Oliveira

Orientadora: Ms. Mirna Ribeiro Lima da Silva

RESUMO: Um dos materiais que fazem parte do desenvolvimento das aulas de Geografia no ambiente escolar é o livro didático. Muitas vezes, esse material ainda é o único orientador das aulas, o que acaba por restringir o conhecimento a tal recurso, o que leva à necessidade de que seja discutido e analisado seriamente por estudiosos e educadores. Assim, este trabalho tem como objeto de pesquisa as concepções de educação científica presentes nos textos que complementam os conteúdos dos livros didáticos de Geografia do oitavo e nono anos do Ensino Fundamental II, que são utilizados na rede municipal de ensino de Catu-BA no ano de 2015. A questão da pesquisa foi colocada nos seguintes termos: Qual a perspectiva de educação científica presente em livros didáticos de Geografia do oitavo e nono anos do Ensino Fundamental II que são utilizados na rede municipal de ensino de Catu-BA? Como processo metodológico, o trabalho caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa, utilizando-se da técnica de análise documental para elucidar a problemática traçada. Como resultados, a pesquisa discute aspectos históricos do livro didático, bem como reflete sobre conceitos de aprendizagens significativas e o processo da construção de conhecimento pelo estudante no processo de aprendizagem significativa. As análises permitiram perceber que o livro didático analisado não se pauta por uma concepção de educação científica de acordo com a construção de conhecimento pelo estudante vinculada à aprendizagem significativa, uma vez que no material analisado no livro não se observou inclinações a uma interação com os conhecimentos prévios dos estudantes, mas, com atividades muito mais voltadas para a memorização dos conteúdos. Conclui-se que o livro didático está envolvido com o ensino de Geografia, pois ainda é um recurso que orienta a prática do professor e a aprendizagem do estudante, entretanto, o material analisado requer um trabalho pedagógico com maior protagonismo por parte do professor, no sentido de trabalhar esse material relacionando-o ao cotidiano do educando, para que os estudantes possam se interagir com o conteúdo que está sendo desenvolvido, bem como se sentir pertencentes à realidade em que vivem.

]Palavras-chave: Educação Científica. Livro Didático. Aprendizagem significativa.

A História jogada: construindo conhecimento histórico através das conexões entre ficção e História nos jogos eletrônicos.

Autor: Wagner de Souza Pimentel

Orientador: Dr. Marcelo Souza Oliveira

 

Resumo: O projeto de pesquisa, A História jogada: construindo conhecimento histórico através das conexões entre ficção e História nos jogos eletrônicos, tem como finalidade analisar a utilização do jogo AC como recurso pedagógico para a educação histórica em espaços não formais de aprendizagem. Para tanto, foram selecionados um grupo de jovens que relataram suas experiências com o jogo. Nesse contexto, a finalidade desse foi destacar a contribuição científica que os jogos eletrônicos comerciais em suas diversas plataformas, podem possibilitar a construção de conhecimento histórico através da relação e distinção entre ficção e história, na perspectiva de jogadores que possuem idade escolar. Acreditamos que o professor de história pode fazer uso das experiências lúdicas desses jovens nas aulas de história. O grupo selecionado que participou desse estudo foram quatro jovens jogadores, com idade entre 14 e 18 anos, que frequentam o ensino médio. Foi solicitado para cada um que escrevessem um diário de bordo sobre as suas percepções e reflexões nos momentos das imersões no game. Os investigados tiveram noção e criticidade básica para relacionar e distinguir, no jogo Assassin`s Creed Reveletions, ficção e história, levando o pensamento a desvendar que a criação daquele game fictício pode contextualizar o seu cotidiano e os conteúdos apresentados na escola da qual frequenta. Ao se divertirem com a ação e a aventura proposta pelo game, puderam adquirir novas informações e construir conhecimento articulando a sua habilidade em manusear um joystick com sua concepção de sociedade e cultura.

Palavras-chave: Conhecimento histórico.Jogos Eletônicos.Ficção. História.

A formação docente em educação ambiental e a práxis pedagógica no ensino fundamental

Autor: Valter Almeira Rocha Júnior

Orientadora: Ms. Elielma Fernandes

Resumo: O presente trabalho monográfico busca delinear uma análise sobre a práxis pedagógica e a formação docente em Educação Ambiental tendo como enfoque os professores do ensino fundamental que atuam nas duas fases desse nível da Educação Básica.  A pesquisa tem o intento de diagnosticar a inserção da Educação Ambiental na formação docente e as implicações para a sua prática. Nesse sentido será verificado se o fazer pedagógico  em  Educação Ambiental está consonância com as recomendações internacionais e do regimento do PRONEA para o desenvolvimento da temática e também dialogar com o que é defendido por algus autores que utilizamos como suporte teórico que são propositores de uma Educação Ambiental voltada para a formação do sujeito ecológico, não mais somente comprometido com o idealizações preservacionistas que comumente são pensadas e abordadas remetendo a Educação Ambiental ao reducionismo de temas ou conteúdos relacionados ao meio natural e deixando de lado as dimensões socias, politicas, culturais, éticas que envolvem toda discussão acerca do meio ambiente .  Para tanto, inicialmente foi realizada uma pesquisa documental em duas unidades escolares de Salvador que ofertam ensino fundamental. A primeira foi a Escola Boa Semente onde contactamos os professores do ensino fundamental  séries iniciais do 1° ao 5° ano e a Escola Dom Avelar Brandão Vilela onde a pesquisa foi desenvolvida com a contribuição de docentes que lecionam no ensino fundamental séries finais do 6° ao 9° ano. A coleta de informações sobre como a Educação Ambiental se insere em suas práxis pedagógica e na formação inicial e continuada dos professores de ambas as escolas ocorreu por meio de questionários semiestruturados que foram aplicados para um total de 26 professores e após a fase que quantificação dos dados obtidos estamos na fase da análise qualitativa, embora já tomando como base alguns resultados preliminares pôde-se constatar que a totalidade dos professores entrevistados estão cursando ou cursaram a graduacao sendo que destes 42% consideram sua formação pouco satisfatória para uma devida atuacao dentro da tematica que é um dos pontos motivadores para o desenvolvimento do presente estudo que parte da hipótese de que uma melhor formacão continuada dos professores viabilizaria uma ação integrada entre as áreas do conhecimento que é considerada a essência da educação ambiental. A fase seguinte será de pesquisar alguns cursos de formação continuada em Educação Ambiental para professores do ensino fundamental, fazer uma apreciação suas ementas e atividades propostas confrontando com os dados que atingidos e analisados durante a execução da pesquisa.

Clube de História: Uma metodologia para a construção de conhecimentos científicos por estudantes da educação básica

Autor: Delmaci Ribeiro De Jesus

Orientador: Dr. Marcelo Souza Oliveira

RESUMO: Os educadores e/ou professores em diferentes momentos da sua vida profissional se debruçam sobre o questionamento: O que fazer, pensar ou discutir no que se refere ao exercício da docência? E buscam uma resposta que se adeque as múltiplas realidades vivenciadas nas tradicionais salas de aula, espaços que cada vez mais, são rotulados como ambientes onde os estudantes não “querem nada”. Nesse contexto de descrença com a educação formal, o presente projeto de intervenção intitulado o “Clube de História”, executado no Colégio Estadual Antônio de Deus Seixas (CEADS), instituição que integra a rede Estadual de Ensino, na cidade de Catu, no Estado da Bahia. Teve o objetivo de promover a educação não formal. Mesmo sendo realizado dentro do espaço escolar, tem a proposta de se caracterizar como uma prática educativa, que seja desvinculada da educação formal pautada, entre outras práticas, na aprovação e/ou reprovação. Sendo assim, o que se propôs no Clube da História foi a criação de um espaço destinado a criatividade e a criticidade do estudante. Espaço esse que focasse a construção do conhecimento do discente, tendo-o como agente principal do construto do seu intelecto. Na “experimentação” de novas práticas pedagógicas que contemplem os anseios dos estudantes, numa sociedade cada vez mais dinâmica, o Clube de História é um método pedagógico. O objetivo é estimular a construção do conhecimento científico nas ciências humanas e proporcionar a popularização da ciência, através de metodologias de ensino e aprendizagem que possibilitem a inserção dos estudantes como construtores de novos saberes. A ideia de desenvolver o Clube de História, no CEADS, partiu da necessidade de inserir esse projeto nas atividades da Educação Integral que está sendo implantada nessa instituição de ensino. A educação integral, não apenas no sentido de uma ampliação da carga horária, mas, sobretudo, na aproximação do estudante com a busca pelo conhecimento, através da prática da pesquisa e do desenvolvimento de atividades pedagógicas que potencializem o exercício contínuo da cidadania. Durante as reuniões do Clube os estudantes discutem temas da História Local da cidade de Catu e buscam construir textos que possibilitem desenvolver competências e habilidades no que diz respeito aos conhecimentos históricos. No decorrer do presente projeto, não tenho pretensão de apontar uma solução que irá subitamente resolver os problemas que envolve o binômio ensino-aprendizagem, mas convidar os professores e estudantes, para uma reflexão que possibilite ressignificar suas práticas de ensino e aprendizagem, favorecendo a inovação. Inovar a partir de pressupostos teóricos que fundamentam a educação científica, e discutem a educação e a relação de ensino e aprendizagem na perspectiva do prazer, capazes de [re] construir conhecimentos.

Palavras-chave: Educação Científica, Conhecimento Histórico, Cidadania .

Contribuições Da Webquest Para Uma Aprendizagem Significativa

Lidiane Mendes Sacramento

Társio Ribeiro Cavalcante (Especialista)

 

RESUMO: O presente artigo tem o objetivo de apresentar a WebQuest e suas contribuições no processo educativo para uma aprendizagem significativa. Para o desenvolvimento desse estudo, recorremos a alguns autores como DODGE (1995), MULLER (2002), PAULA (2012) e PIMENTEL (2007) ao abordar o conceito de WebQuest que nada mais é que um modelo desenvolvido para auxiliar o professor na sua prática educacional utilizando os recursos digitais, de forma que estimule nos discentes outras habilidades, além da memorização; SOUZA (1998) para falar sobre a prática dos plágios nas pesquisas escolares; AUSUBEL (1982) e MOREIRA (2005) para discutir o conceito de aprendizagem significativa crítica que consideramos aqui como um conceito que se for introduzido no espaço educacional, poderá contribuir para o exercício da cidadania na sociedade brasileira. Partimos da hipótese que o uso da WebQuest no processo ensino-aprendizagem, contribui para minimizar os problemas de plágio nas pesquisas escolares e auxilia os estudantes na construção do conhecimento, ganhando autonomia, de modo que este possa alcançar consequentemente uma aprendizagem significativa. Nesse sentido, a partir dessa pesquisa bibliográfica que caracteriza-se enquanto pesquisa qualitativa, pode-se concluir que através do uso adequado dos recursos da Internet, é possível ampliar o conceito de aprendizagem cooperativa, em função da contribuição do professor que exercerá a função de orientar e de direcionar os alunos no acesso a Web. A WebQuest ao cumprir seus objetivos e conter alguns atributos básicos numa estrutura lógica, contribuirá no processo ensino-aprendizagem tanto para o professor que terá uma nova possibilidade pedagógica, quanto para o estudante que produzirá conhecimentos a partir de novas informações, com isso, irá adquirir autonomia, tornando-se protagonista no seu processo educacional, fará um melhor aproveitamento da Internet, enfim, alcançará uma aprendizagem significativa de forma que será incentivado a pensar de forma crítica, reflexiva, analítica e crítica.

 

Palavras-chave: WebQuest, Aprendizagem Significativa, Pesquisa Escolar.