Área de concentração

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO:

A área de concentração “Ensino de Ciências” congrega investigações e estratégias metodológicas inovadoras que visem à formação de professores e à construção de práticas pedagógicas e recursos didáticos para atuar na área de Ensino, focados em três campos do currículo em nível escolar – Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Matemática, e respectivas Tecnologias. Portanto, possui ênfase na Educação Básica, abrangendo dois núcleos: Ensino de Ciências da Natureza e Matemática; e Ensino de Humanidades. Os estudos abrangem a produção e a análise de conhecimentos curriculares, o desenvolvimento e aplicação de conceitos e a disseminação de saberes que envolvam os processos de ensino e de aprendizagem na Educação Básica para atender às demandas da sala de aula, nos diversos níveis e modalidades da Educação Básica, e dos cursos de formação inicial e continuada de professores.

LINHAS DE PESQUISA:

Linha 01: Ensino de Ciências e formação de professores – Tem como eixos investigativos as concepções, as ideias, os imaginários e os processos de formação docente, inicial e continuada. Pressupõem a elaboração de estratégias de ensino que visem a elaboração e aplicação não só de projetos em espaços formais de educação, como também em espaços não formais de ensino tais como museus, centros de ciências e feiras de ciências, com vistas ao processo de elaboração e elaboração e divulgação do conhecimento cientifico. Desenvolve estudos sobre o papel do professor relacionados à produção, aplicação e avaliação de propostas de ensino em pesquisas de natureza participante, pesquisa-ação, educar pela pesquisa, para o repensar da prática pedagógica.

Linha 02: Práticas educativas e inovações educacionais – Investigar as possibilidades de aprendizagem advindas da incorporação de recursos tecnológicos e novas linguagens no Ensino de Ciências. Promover e possibilitar a pesquisas e desenvolvimento de práticas educativas inovadoras, basicamente em duas frentes: 1º) produção de recursos didático para atender as necessidades da educação formal; e 2º) desenvolvimento de projetos educacionais de intervenção em espaços formais e não formais de educação. Nesse contexto, toma-se como referências o movimento Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA) e as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs).