A Instituição

Ifbaiano

 

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano) – Campus Catu foi criado a partir da estrutura da Escola Agrotécnica Federal de Catu, após a entrada em vigor da Lei 11.892/08 de 29 de dezembro de 2008. Desta forma, o referido campus surgiu de uma estrutura e de um corpo docente com considerada tradição no território que detém o título de Primeira Escola Agrotécnica Federal da Bahia e uma das primeiras do Nordeste brasileiro. Desde 1969, essa instituição tem formado técnicos em agropecuária e tem prestado relevantes contribuições para a sociedade.

Não obstante, o processo de ifetização legou transformações profundas ao campus Catu, não apenas por agregar novos e qualificados profissionais, das mais diversas áreas do conhecimento, como também por ampliar as funções da instituição. De acordo com o art. 6º da Lei 11.892/08 instituições dessa natureza devem ter como finalidades:

 

V – constituir-se em centro de excelência na oferta do ensino de ciências, em geral, e de ciências aplicadas, em particular, estimulando o desenvolvimento de espírito crítico, voltado à investigação empírica;

VI – qualificar-se como centro de referência no apoio à oferta do ensino de ciências nas instituições públicas de ensino, oferecendo capacitação técnica e atualização pedagógica aos docentes das redes públicas de ensino;

VII – desenvolver programas de extensão e de divulgação científica e tecnológica. (BRASIL, 2008)

 

Dessa forma, se cabe ao IF Baiano “constituir-se em centro de excelência na oferta do ensino de ciências”, promovendo a “atualização pedagógica aos docentes das redes públicas de ensino”, uma das possibilidades postas ao campus Catu de cumprir tal finalidade está na oferta de cursos de “especialização Lato Sensu visando a formação de especialistas de diferentes áreas do conhecimento” (BRASIL, 2008, Art. 7º).

Com o intuito de criar condições para alcançar tais objetivos alguns professores do Campus Catu tem desenvolvido atividades na área de Educação Científica, Popularização das Ciências e Formação de Professores. Dentre estas iniciativas cabe destacar a implantação de uma mostra anual de iniciação científica, a 11ª Feira dos Municípios e 2ª Mostra de Iniciação Científica do campus Catu (11ª FEMMIC www.ifbaiano.edu.br/femmic), que neste ano de 2012 alcançou o número de 180 trabalhos inscritos, não só do IF Baiano, mas também de numerosas escolas da rede pública e privada de ensino de 18 estados brasileiros. O público alcançado na visitação desse evento foi de mais de 8.000 pessoas. Esse evento foi financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico – CNPq, que legou uma premiação de 03 bolsas de Iniciação Científica Junior, pelo período de um ano, aos três estudantes melhor qualificados na categoria apresentação de pôster. Para 2014, estão previstos a apresentação de mais de 220 projeto de todo o Brasil e serão concedidos 18 bolsas do IC Jr do CNPq, conforme recurso garantido pela aprovação do edital 046/2014 nessa instituição de fomento.

Os trinta alunos/autores dos melhores resumos expandidos foram indicados para a publicação na Revista Ciência Junior: revista de Educação Cientifica do IF Baiano, uma das primeiras do Brasil nessa categoria. Esse periódico terá publicação anual e se voltará para estudos de alunos, professores e profissionais de educação interessados em Educação Científica. A Segunda edição foi publicada recentemente e contou com artigos de 30 estudantes e professores de todo o Brasil e a terceira edição encontra-se em fase atual de abertura de submissão de artigos e deve ser publicada ainda esse ano, com fomento do CNPq.

Além da 11ª FEMMIC e da Revista Ciência Júnior, outras atividades de divulgação científica são praticadas em nosso campus. Considerável reconhecimento tem sido alcançado pelo Projeto Ciência Itinerante[1], (www.ifbaiano.edu.br/itinerente) que tem realizado seus intentos de divulgação científica e popularização das ciências em várias cidades da Bahia e do Brasil, totalizando um público aproximado de 27.000 pessoas por ano.

Na área da formação de professores também tem sido ambiciosa a política do campus. Desde o ano de 2010 vem sendo oferecido um curso de Especialização em Educação de Jovens e Adultos com Necessidades Especiais a um grupo de 40 professores da rede pública de Catu e da região, o que nos deu experiência para alçar novas possibilidades em termos de pós-graduação e nos instigou a oferecer um Curso de Formação de professores em Educação Científica em 2011. Divididos em cinco cursos de diversas áreas de ensino, o processo seletivo para esse curso contou com mais de 120 professores das diversas áreas da educação básica inscritos, dos quais oitenta foram selecionados para o processo de formação continuada sobre a educação científica neste nível de ensino. Como parte do processo de avaliação, diversos alunos orientados por esses professores-cursistas foram aprovados para apresentar seus trabalhos de pesquisa na 10ª FEMMIC-IF Baiano campus Catu, ocorrida entre 24 e 26 de agosto de 2011.Os resultados alcançados com a oferta desse curso de formação de professores que por sua vez formarão estudantes da educação básica, tal como multiplicadores de uma concepção de popularização e divulgação científicas, nos colocam como imperativo o desafio de ir além, rumo a uma contribuição para uma formação mais sólida e consistente destes professores e professoras, no âmbito da pós-graduação.

E é contando atualmente com cerca de 1.200 alunos, distribuídos entre os cursos técnico integrado ao ensino médio, subseqüente, superior e de pós-graduação e com as credenciais na área do ensino e da popularização das ciências referidas acima, o IF Baiano campus Catu vem no presente projeto propor a implantação da primeira turma de Especialização em Educação Científica e Popularização das Ciências. O objetivo de um curso desta qualidade evidencia-se pela necessidade de se pensar a educação de um ponto de vista mais amplo e articulado à realidade histórica e social, que permita aos agentes desse processo a prática da autonomia na produção do conhecimento, calcado nos fundamentos de educar pela pesquisa e de popularizar as ciências em uma perspectiva dialógica.